Não é surpresa para ninguém que a conservação do planeta tem sido pauta essencial dos maiores fóruns econômicos que vêm acontecendo como o COP25 e outros organizados pela ONU - Organização das Nações Unidas. Portanto, os consumidores têm se envolvido cada vez mais com essa temática e exigindo, das empresas que consomem, um posicionamento favorável a essa produção sustentável e ecologicamente sustentável.

Uma pesquisa realizada pela WWF (World Wide Fund for Nature) divulgou que a sociedade mundial tem utilizado recursos naturais em excesso, consumindo em velocidade mais alta (1,75) do que a natureza é capaz de regenerar, alarmando a necessidade por sustentabilidade ano a ano.

O assunto é tão sério que se tornou tema de um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas), intitulado de “Consumo e Produções Responsáveis”, sendo um compromisso assumido 193 por países, incluindo o Brasil. Assim, direcionando-se para esse foco, as empresas têm tomado decisões cada vez mais embasadas na responsabilidade ambiental, portanto, adotando boas-práticas que diminuem, compensam ou anulam o impacto de suas atividades. 

O que é um consumidor consciente?

O consumo consciente se dá no processo de tomada de decisão do consumidor que, entre os fatores avaliados comumente pesados como preço e qualidade, passa a dar maior importância por empresas que sejam comprometidas com essa causa.

Esse comportamento é, também, estendido para o estilo de vida adotado, no consumo de água e luz domiciliar, por exemplo. Levantamentos como a pesquisa realizada pela Akatu e o Indicador de Consumo Consciente (ICC) demonstram a crescente adesão dos clientes a hábitos voltados à sustentabilidade.

O ICC, por exemplo, medido em percentual, aponta consciência de 73,3% do público, ainda que em níveis de engajamento variados. A pesquisa Akatu, por sua vez, aponta o perfil que mais se sobressai entre os consumidores preocupados com sustentabilidade, tendo ensino superior completo (52%), sendo classe social AB (40%) e idosos (24%).

O Impacto no Varejo

Na prática, para ser coerente com a situação ambiental e também manter o relacionamento com o cliente em dia, há muitas maneiras de aplicar a sustentabilidade nas operações do varejo.

Entre elas:

  • a eficiência energética, ao utilizar recursos como energia elétrica e água a partir de equipamentos e dispositivos mais inteligentes, seja por melhor desempenho (lâmpadas led), uso sob demanda (sensores) e outros como menor consumo de água e watts por atividade realizada ou aproveitamento, quando possível;
  • usar embalagens biodegradáveis ao invés das comuns já conhecidas e se certificar que o fornecedor está cumprindo com as medidas de proteção ambiental vigente;
  • separação de resíduos através da separação pela natureza do lixo conforme convenção internacional CONAMA 217 que estipula cores para cada tipo de material como imagem abaixo.

classificação-da-coleta-seletiva

No entanto, é preciso ter coerência. Em um mundo tão marcado por preocupações e exposição, às empresas que não assumirem verdadeiramente o compromisso com a sustentabilidade e forjarem uma preocupação com o objetivo de realizar marketing, correm um grande e irreversível perigo de caírem em desgraça na opinião pública, essa que cada vez mais tem chegado mais veloz ao consumidor através das redes sociais e mídias de reputação.

Por outro lado, quando trabalhada e assumida na cultura e cotidiano das operações, sendo planejada e tendo investimento específico para educação dos colaboradores, os benefícios de retorno ultrapassam os limites da própria marca e de seus consumidores, gerando maior engajamento e fidelização de seus clientes, uma vez que contribui para que outros possam ter recursos no futuro.

E após todas essas informações, é impossível manter os mesmos padrões do passado, sendo, agora, necessário pensar nos passos necessários para adequar-se à nova realidade. Assim, para equilibrar fatores econômicos e ambientais, é necessário dimensionar o impacto atual da sua empresa, o perfil de consumo e comportamento de seus clientes mais fiéis e criar ações que melhor atendam as expectativas do mercado alinhando, claro, aos objetivos do seu negócio.